17 de dez de 2009

FELIZ NATAL

Natal:
sentimento que,
enchendo o abismo do universo,
cabe com seu esplendor,
No olhar de uma criança,
no cálice de uma flor,
Esse Jesus imortal, único, bom e clemente,
de quem sou o mais humilde crente.

Mártir que fez com seu olhar sublime,
o luar do perdão para a noite do crime,
abriu com a luz da bem-aventurança,

Jesus...

Deus menino homem que está,
Como um farol da glória,
No cume da montanha escavada da história,
contemplando o infinito,
iluminando a terra.

Essa luz que a flor da alma humana encerra,
É de quem sofre,
é de quem geme,
é de quem chora,
É de todos que vão pela existência afora,
Tristes (santo, herói, escravo ou proscrito),
os pés calcando o lodo...
os olhos voltados para o infinito.

O Natal está nos olhos das crianças,
em suas mãozinhas delicadas,
que revelam sempre novas surpresas.
O Natal está em suas faces alegres e
em tudo o que dizem.

"Senhor, que neste Natal, milhares e milhares
de pessoas possam encontrar-se com Jesus,
a razão do Natal, a vida verdadeira,
assumindo com ele um compromisso de vida.
Que as festas e os presentes não nublem
as mentes, mas que todos possam
se deixar levar por essa "Canção de Amor":

Jesus!

"Porque o nosso Deus é misericordioso
e bondoso. Ele fará brilhar sobre nós
a sua luz e do céu iluminará todos os que
vivem na escuridão da sombra da morte,
para guiar os nossos passos no caminho da paz".

Desejo que você tenha um Natal cheio de luz e paz junto ao
menino Jesus.

E um Ano Novo repleto de saúde e realizações.

Feliz Natal!

Feliz Ano Novo!

 
 

 




 





29 de nov de 2009

ENCONTRO GESTAR II/LÍNGUA PORTUGUESA TP3

Módulo I: TP3 e AAA’s 3 - Gêneros e Tipos TextuaisUnidades: 9, 10, 11 e 12Eixos Temáticos: Gêneros Textuais: do Intuitivo ao Sistematizado Trabalhando com Gêneros Textuais Tipos Textuais A Inter-relação entre Gêneros e Tipos TextuaisObjetivos: Sistematizar o conhecimento sobre Gêneros e Tipos Textuais Identificar características que levam à classificação de um gênero textual;Caracterizar sequências tipológicas narrativas, descritivas, injuntivas, preditivas, expositivas e argumentativas; Analisar sequências tipológicas em gêneros textuais; Refletir sobre as diversas idéias de trabalho que coexistem na nossa cultura e compreender porque falar (ou escrever) é uma forma de trabalho. Preparar atividades que levem seus alunos a reconhecer características de gêneros textuais com os quais já convivem.l1º Discussão sobre o material lido;2º Apresentações dos grupos3º Socializando o Conhecimento (slides)4º Encaminhamento da TAREFA DE CASA Lição 1: Desenvolver duas das atividades propostas nas seções “Avançando na Prática” das unidades 10 ou 12.5° Lição 2: Escolher uma delas, registrar por escrito toda a sua experiência; desde os aspectos que trouxeram mais dificuldade para você e seus alunos. Registre também suas observações e sugestões a respeito. Lição 3: Aplicar atividades do AAA em sala de aula de acordo com a realidade da turma e do seu planejamento.9º AvaliaçãoRESPONDENDO AO INTRUMENTAL SOBRE A REUNIÃO,COMTEMPLANDO PONTOS POSITIVOS E NEGATIVOS E FAZENDO SUGESTÕES PARA O PRÓXIMO ENCONTRO.

23 de ago de 2009

PRIMEIRO ENCONTRO GESTAR II EM QUIXERAMOBIM 23/07/09



OBJETIVO GERAL DE LÍNGUA PORTUGUESA.Possibilitar ao professor de língua portuguesa de anos finais um trabalho que propicie aos alunos o desenvolvimento de habilidades de compreensão, interpretação e produção dos mais diferentes textos.

AAA – CADERNO DE ATIVIDADES DE APOIO À APRENDIZAGEM DO ALUNO
Objetivos:
• Subsidiar as aulas com atividades individualizadas aos alunos que se diferem quanto ao ritmo e forma de aprendizagem;
• Promover atividades para ensinar conteúdos que o aluno não aprendeu anteriormente,dinamizar suas aulas e sanar deficiências detectadas ao longo do processo.

ORGANIZAÇÃO DOS CADERNOS DE TEORIA E PRÁTI CA
Os TPs são os cadernos de estudo e formação do aluno cursista.Neles têm os conteúdos do ensino presencial e não-presencial, atividades propostas (quadros azuis que contêm sugestões de atividades em classe) e roteiro das oficinas.
Quanto às atividades propostas,o professor cursista deve escolher entre as seis que lhe forem apresentadas pelo menos uma para apresentar ao formador como parte de sua avaliação visto que terá que trazer todos concluídos para serem vistos.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROFESSOR CURSISTA
Deveres como professor cursista
• Freqüência obrigatória às atividades presenciais do programa, seminários e Oficinas coletivas.
• Leitura dos Cadernos de Teoria e Prática para discussão nas Oficinas coletivas com o seu formador.
• Realização das atividades pedagógicas recomendadas no programa.
• Realização e entrega, de acordo com o previsto no Caderno de Teoria e Prática, das atividades denominadas: Lição de Casa ou Socializando o seu Conhecimento.
• Realização do projeto para se conseguir a certificação.
• Realização de auto-avaliações.
• Compromisso de realizar o planejamento de ensino com base nas diretrizes do pro­grama.
Freqüência :75% de presença nos encontros. Se, por motivo de saúde, você perder as atividades presenciais, poderá compensá-las com outras atividades, a critério do formador municipal/estadual do programa.
Lição de Casa ou Socializando o seu Conhecimento
A Lição de Casa ou Socializando o seu Conhecimento é uma exigência do programa que complementa a formação continuada do professor. A partir dessa vivência, você deverá elaborar o relato de sua prática. Os relatos serão entregues ao formador junto com as atividades que foram desenvolvidas pelos alunos. Esse material deverá ser organizado de forma a compor o portifólio de seus trabalhos e inclui uma re­flexão sobre os trabalhos dos alunos.
Projeto
O professor cursista deverá desenvolver um projeto para a finalização do programa, de preferência interdisciplinar, a ser implementado em sala de aula, apresentando a estrutura a seguir:
a) Temática: definir um tema que possa desenvolver os conhecimentos adquiridos no programa e seja contextualizado à realidade de sala de aula.
b) Problemática: definir uma situação-problema a ser focada mediante seu desenvolvi­mento.
c) Fundamentação teórica: definir os conceitos e as teorias que darão base a todas as ações desenvolvidas.
d) Objetivos: definir quais são os objetivos gerais e específicos a serem alcançados com a sua implementação.
e) Metodologia: definir os passos a serem seguidos e os recursos materiais a serem utili­zados para a sua realização.
f) Cronograma: definir o cronograma de cada etapa de desenvolvimento e os seus res­pectivos prazos.
g) Equipe de trabalho: definir as áreas de conhecimento envolvidas, assim como os edu­cadores participantes e as suas respectivas atribuições.
h) Avaliação: definir o processo de avaliação e os instrumentos a serem utilizados.
Organização do tempo de estudo dos professores cursistas
• Cinco horas por semana, fora do horário de trabalho, para estudo individual a distância do Caderno de Teoria e Prática.
• Quatro horas, quinzenalmente ou de três em três semanas, na escola ou em local determinado, para as Oficinas – reuniões de trabalho – assistidas pelos formadores municipais/estaduais de Língua Portuguesa ou de Matemática.

Resumindo...
A certificação do professor cursista dependerá de quatro fatores:
a) frequência;
b) conceitos emitidos pelo formador referentes à Lição de Casa e desempenho nas oficinas e avaliações;
c) auto-avaliação pelo professor cursista;
d) apresentação do projeto a ser implementado na escola em que trabalha.

Abertura do Programa Gestar no Municipio de Quixeramobim/Ceara

A abertura do PROGRAMA GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR-GESTAR no Município de Quixeramobim,aconteceu no dia 23 de julho de 2009 ,na Secretaria municipal de Educação no auditório Marrum Simão.Tivemos a participação da Secretaria Maria do Socorro Pinheiro Coutinho juntamente com a coordenadora municipal Elizabeth ,supervisora do ensino Cely Maria lima ,tecnicas da secretaria e todos os professores do Curso.No primeiro momento foi oferecido um café da manhã dando boas vindas aos professores cursistas,logo em seguida a apresentação da tutora da disciplina de lingua portuguesa,no segundo momento tivemos a fala da Secretaria,da Coordenadora do curso e do tutor.Assim ,logo depois passamos para apresentação do Programa somente para os cursistas através de slades, onde foi mostrado toda a estrutura do Programa para só depois entregar o material.Assim, agendamos as oficinas com os estudos dirigidos para casa e estamos torcendo para o sucesso do Programa em nosso município.